Notícias Embu

Remanescente de Mata Atlântica da Pedreira Juruaçu é Destacado por Jornal

Artigo: A importância das reservas florestais da Pedreira Juruaçu

Ao longo do tempo, a crescente preocupação com as questões ambientais estimulou a sociedade a adotar práticas adequadas de uso sustentável de recursos naturais, gerenciamento das atividades modificadoras do meio ambiente bem como o estimulo de ações de proteção ambiental.

O tema tornou-se uma preocupação da sociedade civil e também dos governos. No Brasil, esta apreensão é inclusive expressa na Constituição Federal de 1988, que estabelece que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, essencial à sadia qualidade de vida, bem como de parcelas significativas da flora e fauna locais.

Dentre os mecanismos de estimulo à conservação de áreas florestais impostas pelo governo está a instituição das Reservas Legais. Uma obrigação legal, imposta pelo Código Florestal Brasileiro, que estabelece que todo imóvel rural dever manter uma porcentagem de sua área com cobertura de vegetação nativa. Os percentuais de proteção da propriedade variam de acordo com o bioma e região do país, sendo na região de São Paulo estipulado 20% da propriedade.

Cabe ressaltar que a real importância da Reserva Legal que se traduz na manutenção do ecossistema como um todo, garantindo a possibilidade de regeneração de elementos florísticos, essenciais para abrigo e expansão da fauna, além da formação de banco gênico e proteção dos recursos hídricos.

Por outro lado, as transformações na crosta terrestre são consequências intrínsecas às atividades de extração mineral, sendo essas responsáveis por alterações físicas, químicas e biológicas do meio ambiente. Sendo assim, o desenvolvimento sustentável das atividades torna-se indispensável para atender à contratante demanda por produtos que atendam às necessidades de melhoria da qualidade da vida humana.

Aliada às técnicas de exploração racional dos recursos está a necessidade de adoção de mecanismos de proteção ambiental. E é isso que a Embu S.A. Engenharia e Comércio fez ao longo de seus mais de 50 anos de história. Reconhecida como uma das melhores empresas do setor mineral brasileiro, a Embu S.A. vem praticando ações que se traduzem em cuidados e respeito ao meio ambiente, sempre em consonância com a população do entorno e o atendimento da legislação ambiental. Assim, além da manutenção das áreas verdes de suas 06 unidades, que somam cerca de 500 ha, em 2009, criou o Instituto Embu de Sustentabilidade - IES, uma associação sem fins lucrativos, mantido pela empresa com a missão de desenvolver e estimular ações sociais e projetos relacionados à educação ambiental, em comunidades localizadas no entorno de seus empreendimentos.

Especificamente na região de Perus, a totalidade das áreas verdes protegidas pela Pedreira Juruaçu, em atividade desde a década de 80, é um ótimo exemplo da efetividade dos esforços realizados pela iniciativa privada em prol da preservação ambiental. Com uma Reserva Florestal constituída em quase 50% das propriedades, a Pedreira Juruaçu e os outros negócios do grupo Embu S.A. protegem cerca de 170 ha, ou seja, 1.700.000 m2 de áreas verdes. Deste total, 90% é recoberto por formações florestais remanescentes de Mata Atlântica, caracterizadas como Floresta Ombrófila Densa Montana (FODM) em estágio inicial e médio de regeneração. Isso corresponde a um Parque do Ibirapuera inteiro formado apenas de florestas ou cerca de 215 campos de futebol.

Estudos no local indicam uma grande diversidade de espécies, já tendo sido registradas cerca de 190 de plantas, 24 de anfíbios e répteis, aproximadamente 250 de aves, 21 de mamíferos e 4 de peixes. Dentre estas, diversas são espécies com ocorrência apenas na Mata Atlântica, ou seja, endêmicas, algumas estão ameaçadas de extinção e outras apresentam alta sensibilidade, o que reforça a indicação da boa qualidade das vegetações ali preservadas.

Indo mais além, as áreas de preservação da Pedreira Juruaçu, além de refúgios silvestres, compõem o grande contínuo florestal da Serra da Cantareira, interligando-se com o Parque Estadual da Cantareira e possibilitando a criação de corredores ecológicos que, ao conectarem fragmentos florestais, permitem o fluxo gênico de espécies entre eles. Assim, facilitam a dispersão de espécies e a recolonização de áreas degradadas, mitigando os efeitos da fragmentação dos ecossistemas.

A Embu S.A. entende que a cobertura vegetal nativa é a principal responsável pelo equilíbrio e manutenção de processos ecológicos essenciais dos ecossistemas, sendo um importante componente da biodiversidade e também responsável pela sua conservação. Desta forma, empenha-se em manter suas áreas de preservação ambiental bem como em realizar suas atividades de forma equilibrada e harmônica com o meio ambiente e as comunidades em seu entorno.

- Embu S.A.

Ver todas notícias